17
views
0
recommends
+1 Recommend
1 collections
    0
    shares
      • Record: found
      • Abstract: found
      • Article: found
      Is Open Access

      Effect of age and spacing on biomass production in forest plantations Translated title: Efeito da idade e do espaçamento na produção de biomassa de plantios florestais

      research-article

      Read this article at

      Bookmark
          There is no author summary for this article yet. Authors can add summaries to their articles on ScienceOpen to make them more accessible to a non-specialist audience.

          Abstract

          ABSTRACT The aim of this study was to determine the effect of age and plant spacing on biomass production of four forestry tree species: Acacia mearnsii De Wild, Eucalyptus grandis W. Hill ex Maiden, Mimosa scabrella Benth, and Ateleia glazioviana Baill. The following spacings of plants at the ages of 1, 3, and 5 years after planting were considered: 2.0 × 1.0 m, 2.0 × 1.5 m, 3.0 × 1.0 m, and 3.0 × 1.5 m. The study was installed in randomized complete block design. Biomass was determined by weighing different components of the trees after harvesting. Plant spacing affected biomass production of forestry trees at different ages after planting. Dense spacings produced larger quantities of biomass than less dense spacing. The tree species differed in biomass production: Eucalyptus grandis produced the largest quantity (325.1 t ha-1), followed by Acacia mearnsii (239.3 t ha-1), Mimosa scabrella (53.4 t ha-1), and Ateleia glazioviana (32.1 t ha-1). Wood biomass represented the biomass component with the largest production over time, which showed an increasing proportion throughout the age groups, followed branch, leaf, and bark biomass.

          Translated abstract

          RESUMO Esse trabalho teve como objetivo determinar o efeito da idade e do espaçamento de plantio na produção de biomassa das espécies florestais: Acacia mearnsii De Wild, Eucalyptus grandis W. Hill ex Maiden, Mimosa scabrella Benth e Ateleia glazioviana Baill. Foram considerados plantios com diferentes espaçamentos: 2,0×1,0 m, 2,0×1,5 m, 3,0×1,0 m e 3,0×1,5 m, nas idades de 1, 3 e 5 anos após o plantio. O trabalho foi instalado em delineamento experimental de blocos completos casualizados. A determinação da biomassa aérea consistiu na colheita e pesagem das diferentes partes das árvores. Os espaçamentos de plantio influenciam na produção de biomassa das partes das espécies florestais, nas diferentes idades após o plantio. Os espaçamentos mais adensados proporcionam maiores quantidades de biomassa que os menos adensados. As espécies florestais diferenciam-se em relação à produção de biomassa. O Eucalyptus grandis (325,1 t ha-1) apresenta a maior produção, seguido da Acacia mearnsii (239,3 t ha-1), Mimosa scabrella (53,4 t ha-1) e Ateleia glazioviana (32,1 t ha-1). A madeira apresenta a maior participação na biomassa total ao longo do tempo, sendo constatada a crescente proporção percentual ao longo das classes etárias, seguido do galho, folha e casca.

          Related collections

          Most cited references24

          • Record: found
          • Abstract: not found
          • Article: not found

          Nova classificação climática do Estado do Rio Grande do Sul

            Bookmark
            • Record: found
            • Abstract: found
            • Article: found
            Is Open Access

            Potencial energético da madeira de Eucalyptus sp. em função da idade e de diferentes materiais genéticos

            Este trabalho teve como objetivo determinar a influência da idade e de diferentes materiais genéticos de Eucalyptus sp. na produção de madeira para energia. Neste estudo, foram avaliados três clones de Eucalyptus sp., em quatro idades diferentes, aos 3, 4, 5 e 7 anos, sendo provenientes da Gerdau S/A. De cada árvore foram retirados cinco discos (0%, 25%, 50%, 75% e 100% da altura comercial do tronco), bem como determinados a densidade básica, o poder calorífico superior e a análise elementar da madeira, e, como base nesses valores, foi possível estimar a quantidade de energia m-3. Observou-se que houve efeito da idade e do material genético para a densidade básica da madeira e para o poder calorífico superior. Verificou-se ainda que a quantidade de energia m-3 aumentou com a idade, e houve diferença significativa entre os três materiais genéticos avaliados. O clone GG 680 apresentou melhor desempenho dessa variável, apresentando, aos 7 anos, 2.943 kW.h.m-³. Cabe ressaltar que a escolha do melhor material genético deve levar em consideração as características tecnológicas da madeira, bem como a sua produtividade e efetividade técnica de produção.
              Bookmark
              • Record: found
              • Abstract: found
              • Article: found
              Is Open Access

              Produção e distribuição de biomassa em Eucalyptus camaldulensis Dehn. em resposta à adubação e ao espaçamento

              Plantas de Eucalyptus camaldulensis sob quatro níveis de adubação foram estabelecidas em quatro espaçamentos, na região dos cerrados, em Minas Gerais, com o objetivo de avaliar a influência destas variáveis na produção e no acúmulo de biomassa nas plantas. Os espaçamentos foram constituídos por uma distância fixa entre as linhas de 3 m e distância entre as plantas na linha de 2, 3, 4 e 5 m. A adubação consistiu de níveis proporcionais crescentes de uma combinação de fertilizantes denominados 0, 1, 2 e 4. A produção e a alocação de biomassa foram avaliadas aos 20 e 32 meses de idade. Equações de regressão foram ajustadas, utilizando-se dados obtidos aos 32 meses de idade, para estimativa da produção de biomassa da parte aérea e da madeira. A produção média de biomassa da madeira, aos 32 meses, foi 71, 120 e 98% superior nos níveis de adubação 1, 2 e 4, respectivamente, quando comparadas com plantas no nível 0. A adubação promoveu redução na relação raiz/parte aérea, tendo sido 0,87, 0,70, 0,67 e 0,59, para níveis crescentes de adubação. A produção de biomassa da parte aérea e da madeira, por planta, aumentou com o espaçamento entre as plantas, ou seja, maior produção foi obtida no espaçamento mais amplo (3 x 5 m), sendo a produção por unidade de área maior nos menores espaçamentos. A produção de biomassa apresentou comportamento quadrático, tendo as maiores produções, por unidade de área e por planta, sido obtidas entre os níveis de adubação 2,7 e 2,8.
                Bookmark

                Author and article information

                Contributors
                Role: ND
                Role: ND
                Role: ND
                Role: ND
                Role: ND
                Journal
                rarv
                Revista Árvore
                Rev. Árvore
                Sociedade de Investigações Florestais (Viçosa, MG, Brazil )
                0100-6762
                1806-9088
                October 2018
                : 42
                : 2
                : e420214
                Affiliations
                [2] Curitiba Paraná orgnameUniversidade Federal do Paraná orgdiv1Departamento de Engenharia e Tecnologia Florestal Brazil dimas.agostinho.silva@ 123456gmail.com
                [4] orgnameUniversidade de São Paulo orgdiv1Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia Brazil felipe_schwerz@ 123456hotmail.com
                [3] orgnameUniversidade de São Paulo orgdiv1Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas Agrícolas Brazil elvisfelipeelli@ 123456yahoo.com
                [1] Frederico Westphalen Rio Grande do Sul orgnameUniversidade Federal de Santa Maria orgdiv1Departamento de Engenharia Florestal Brazil eloyelder@ 123456yahoo.com.br
                Article
                S0100-67622018000200213
                10.1590/1806-90882018000200014
                26df81d6-ad67-49a3-874c-15dd57cb3c1d

                This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

                History
                : 19 June 2018
                : 23 November 2017
                Page count
                Figures: 0, Tables: 0, Equations: 0, References: 32, Pages: 0
                Product

                SciELO Brazil


                Plantios de curta rotação,Forest species,Planting density,Short rotation plantations,Espécies florestais,Densidade de plantio

                Comments

                Comment on this article