0
views
0
recommends
+1 Recommend
0 collections
    0
    shares
      • Record: found
      • Abstract: found
      • Article: not found
      Is Open Access

      Impactos da (des)territorialização nos processos de subjetivação: experiências migratórias de refugiadas venezuelanas em Bogotá Translated title: Impactos de la (des)territorialización en los procesos de subjetivación: experiencias migratorias de refugiadas venezolanas en Bogotá Translated title: Impacts of (de)territorialization on processes of subjectivation: migratory experiences of Venezuelan refugee women in Bogotá

      research-article

      Read this article at

      ScienceOpen
      Bookmark
          There is no author summary for this article yet. Authors can add summaries to their articles on ScienceOpen to make them more accessible to a non-specialist audience.

          Abstract

          O presente artigo visa analisar os impactos nos processos de subjetivação de mulheres venezuelanas que, em meio ao forte fluxo migratório recente, se veem diante de um processo de (des)territorialização. Propõem-se discussões sobre elementos do sofrimento ético-político, a construção identitária e a feminização da migração, a partir da produção de narrativas, tendo a categoria de gênero como analisador fundamental de tais fluxos. As entrevistas com mulheres que se encontravam em Bogotá, Colômbia, versaram sobre as memórias da Venezuela, a motivação para a saída, o trânsito na fronteira, a chegada à cidade, as dificuldades cotidianas de adaptação, e os ecos desse processo. Ao final, a escuta dessas experiências emerge como forma de enfrentamento ao silenciamento de vozes marginalizadas e de reflexão sobre as estratégias de acolhimento que têm sido adotadas na região.

          Translated abstract

          Este artículo tiene como objetivo analizar los impactos en los procesos de subjetivación de mujeres venezolanas que, en medio del fuerte flujo migratorio reciente, se enfrentan a un proceso de (des)territorialización. Se proponen discusiones sobre elementos del sufrimiento ético-político, la construcción de la identidad y la feminización de la migración, a partir de la producción de narrativas, con la categoría de género como analizador fundamental de dichos flujos. Las entrevistas con mujeres que se encontraban en Bogotá, Colombia, versaron sobre los recuerdos de Venezuela, la motivación para la salida, el tráfico fronterizo, la llegada a la ciudad, las dificultades diarias de adaptación y los ecos de este proceso. Al final, la escucha de estas experiencias surge como forma de enfrentar el silenciamiento de las voces marginadas y reflexionar sobre las estrategias de acogida que se han adoptado en la región.

          Translated abstract

          This article aims to analyze the impacts on the processes of subjectivation of Venezuelan women who, amidst the strong recent migratory flow, find themselves facing a process of (de)territorialization. Discussions are proposed about elements of ethical-political suffering, identity construction and the feminization of migration, based on the production of narratives, with the gender category as a fundamental analyzer of such flows. The interviews with women who were in Bogotá, Colombia, were about the memories of Venezuela, the motivation to leave, the border traffic, the arrival in the city, the daily difficulties of adaptation, and the echoes of this process. In the end, listening to these experiences emerges as a way of confronting the silencing of marginalized voices and reflecting on the reception strategies that have been adopted in the region.

          Related collections

          Most cited references28

          • Record: found
          • Abstract: found
          • Article: found
          Is Open Access

          Rumo a um feminismo descolonial

          Em Heterosexualism and the Colonial/Modern Gender System (2007), propus uma leitura da relação entre o colonizador e o/a colonizado/a em termos de gênero, raça e sexualidade. Com isso eu não pretendia adicionar uma leitura gendrada e uma leitura racial às já sabidas relações coloniais. Ao invés disso, eu propus uma releitura da própria modernidade capitalista colonial moderna. Isso se dá porque a imposição colonial do gênero atravessa questões sobre ecologia, economia, governo, relaciona-se ao mundo espiritual e ao conhecimento, bem como cruza práticas cotidianas que tanto nos habituam a cuidar do mundo ou a destruí-lo. Proponho este quadro conceitual não como uma abstração da experiência vivida, mas como uma lente que nos permita ver o que está escondido de nossas compreensões sobre raça e gênero e sobre as relações de cada qual à heterossexualidade normativa.
            Bookmark
            • Record: found
            • Abstract: not found
            • Article: not found

            Saberes localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilégio da perspectiva parcial

              Bookmark
              • Record: found
              • Abstract: found
              • Article: found
              Is Open Access

              A estrutura do conhecimento nas universidades ocidentalizadas: racismo/sexismo epistêmico e os quatro genocídios/epistemicídios do longo século XVI

              Este artigo discute a estrutura epistêmica do mundo moderno em relação aos quatro genocídios/epistemicídios do longo século XVI (1450-1650). Argumenta-se que o privilégio epistêmico do homem ocidental foi construído às custas do genocídio/epistemicídios dos sujeitos coloniais. O artigo relaciona o racismo/sexismo epistêmico da estrutura das universidades ocidentalizadas e do mundo moderno ao genocídio/epistemicídio contra muçulmanos e judeus na conquista de Al-Andalus, contra povos nativos na conquista das Américas, contra povos africanos na conquista da África e a escravização dos mesmos nas Américas e, finalmente, contra as mulheres europeias queimadas vivas acusadas de bruxaria. Esses quatro genocídios/epistemicídios são fundantes da estrutura epistêmica moderno-colonial e das universidades ocidentalizadas. A tese principal deste artigo é que a condição de possibilidade para o cartesianismo idolátrico dos anos 1640 que assume o olho de Deus e arroga-se o direito de dizer "penso, logo existo" é o "extermino, logo existo".
                Bookmark

                Author and article information

                Journal
                ppp
                Pesquisas e Práticas Psicossociais
                Pesqui. prát. psicossociais
                Laboratório de Pesquisas e Intervenção Psicossocial (LAPIP/UFSJ) (São João del-Rei, MG, Brazil )
                1809-8908
                August 2021
                : 16
                : 2
                : 1-20
                Affiliations
                [01] orgnameUniversidade Federal de São João del-Rei orgdiv1Departamento de Psicologia
                [02] Bogotá orgnameUniversidad Santo Tomás orgdiv1Departamento de Psicologia aidacabrera@ 123456usantotomas.edu.co
                Article
                S1809-89082021000200012 S1809-8908(21)01600200012
                f95ac980-0a79-4f76-a3c9-f432110657d2

                This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

                Page count
                Figures: 0, Tables: 0, Equations: 0, References: 29, Pages: 20
                Product
                Product Information: website
                Categories
                Artigos

                Processos de subjetivação,Refugee women,Venezuelan migration,Migración venezolana,Migratory experiences,Processes of subjectivation,Mujeres refugiadas,Mulheres refugiadas,Migração venezuelana,Experiências migratórias,Experiencias migratorias,Procesos de subjetivación

                Comments

                Comment on this article